Em 2019 a Black Friday será no dia 29 de novembro e, segundo pesquisa de mercado da GFK Brazil, as vendas devem crescer 4% sobre o mesmo período de 2018. O setor de Bens Duráveis e Eletroeletrônicos – que engloba celulares, linha branca, linha marrom e eletro-portáteis – deve faturar em torno de R$ 13,5 bilhões.

Ainda de acordo com a GFK Brazil, o consumidor reconhece o Natal como um evento para presentear; a moda, por exemplo, é uma categoria que vende mais nessa data. Já a Black Friday é o evento para realizar os seus desejos e comprar inovações e lançamentos de tecnologia se beneficiando dos preços promocionais.

 

Integração de canais

Se a Black Friday já caiu no gosto do brasileiro, o jeito como ele compra também está se transformando. Agora o consumidor que vive conectado utiliza os meios online e off-line para fazer suas pesquisas e aquisições. A junção dos termos físico e digital criou a denominação Figital.

“Essa mudança de hábito mostra que precisamos integrar os ambientes online e físico para atender às diferentes motivações de uma jornada de compra cada vez mais Figital”, ressalta a especialista em varejo Fabíola Paes, co-fundadora da Neomode – empresa que desenvolve plataforma omnichannel para o varejo.

 

Comércio eletrônico deve movimentar R$3,5 bi na black friday de 2019

Com tantas mudanças em andamento, os comerciantes devem ficar atentos para aproveitar corretamente as datas especiais e turbinar seus negócios. Mais do que planejar o estoque, a equipe de vendas e as entregas, agora é necessáriopensar em estratégias e saber como “juntar”os pontos de vendas físicos com os meios online em apenas um único lugar.

Outra pesquisa do IDC Retail Insights – que traz a experiência mundial do cliente no varejo e estratégias de mercado – aponta que os consumidores omnichannel gastam até 40% a mais e são mais engajados com a marca, do que as pessoas que fazem a compra em apenas um canal.

 

Facilidades

Entre as novidades que chegam frequentemente ao mercado, uma conveniência tem crescido tanto no Brasil quanto em outros países: a opção de Clique & Retire. Essa modalidade permite ao comprador fazer as aquisições online [seja por app, site ou assistentes virtuais] e retirar seu produto na loja física mais próxima (escolhida por geolocalização) em 5 minutos, sem filas, sem custos de frete e sem longo tempo de espera.

 

Entre as companhias que já utilizam essas facilidades e conseguiram obter bons resultados, destaque para as Lojas Mercado Móveis (Lojas MM) – grupo paranaense com mais de 190 pontos de vendas em diferentes estados – e a Dufry, rede internacional de varejo em aeroportos. “Com o investimento na integração de canais a empresa tem obtido crescimento de 50% ao mês nas vendas pelo App Commerce”, destaca o Diretor Comercial das Lojas MM, Marcos Ribeiro Camargo.

“O investimento em inovação também permite análises de comportamento do consumidor e planejamentos mais assertivos em cada época do ano. Com isso, o lojista oferece o produto certo, nos meios adequados e com atrativos para facilitar a vida de quem compra”, destaca Fabíola Paes.

 

Dicas para não errar na Black Friday

Para o lojista que ainda não unificou os canais físicos e digitais, a recomendação é colocar esse trabalho no planejamento da empresa. Quanto mais rápido houver a integração, maiores serão as chances de vendas, pois todas as datas de varejo possibilitam ações específicas para atrair a clientela.

“Tudo pode ser melhor aproveitado com os serviços omnichannel – seja no Natal, nas compras de material escolar, Carnaval, Dia das mães, namorados, pais, crianças, Halloween. A integração do online com o físico possibilita novas campanhas de marketing ou promoções sazonais que assertivamente resultam em mais vendas”, conta Fabíola.

Fonte: IPNEWS

Por Marketing CCM-ULA