Realizado no início deste mês em Budapest, na Hungria, o encontro anual da Associação Europeia dos Produtores e Exportadores de Carne de Frango (identificada pela sigla AVEC e autodenominada “porta-voz da indústria europeia do frango”) teve como tema “Frango: Alimento para o Futuro”.

Mas o assunto principal do evento acabou sendo o comércio internacional da carne de frango, questão que leva diretamente ao acordo firmado em 29 de junho entre União Europeia e Mercosul e, no caso da AVEC, ao que foi acordado em relação à importação da carne de frango produzida nos quatro países integrantes do Mercosul.

Clique aqui para conhecer outros posicionamentos da AVEC acerca do comércio internacional de carne de frango. De acordo com documento divulgado pela entidade, seu Presidente deve requerer à Comissão Europeia que toda carne avícola comercializada no bloco (inclusive) em restaurantes, tenha o país de origem identificado.

Abrindo os debates em torno do tema, o presidente da AVEC, Paul Lopez, citou que “uma quota enorme adicional de 180 mil toneladas de carne de frango foi concedida aos países do Mercosul” e considerou que isso representa “um claro sacrifício para a indústria avícola europeia, pois corresponde ao dobro do que foi oferecido no final de 2017 e aceito pelos países membros da UE”.

Fonte: Notícias agrícolas
Por Marketing CCM-ULA