A chegada do frio e o feriado prolongado colaboraram para aumentar o movimento nas lojas. Os produtos mais procurados são artigos de inverno como botas e agasalhos.

Com um crescimento abaixo do esperado, o varejo apresentou alta de 0,82% no acumulado do ano. Em 2018, nesta mesma base de comparação, a alta foi de 2,91%. O principal segmento que apresentou crescimento nessa base comparativa foi o de material elétrico e construção (+1,47%) e apenas o setor de informática não apresentou resultado positivo, com queda de 0,48% nas vendas.

Também abaixo das expectativas de aumento de vendas, o comércio da Capital acumulou alta de 0,33% nas vendas nos últimos 12 meses. Nessa base comparativa, o segmento de Informática teve o melhor desempenho, com aumento de 0,83% nas vendas.

Gilson Machado ressalta que a queda do indicador de confiança do consumidor da Capital refletiu no desempenho acumulado do comércio. O Índice de Confiança do Consumidor do primeiro trimestre de 2019, medido pela CDL/BH, apontou recuo de 5,1 pontos, passando de 58,2 para 53,1 pontos.

“Era esperado um crescimento maior para as duas bases, mas como o consumo das famílias foi baixo, o desempenho do comércio foi diretamente afetado. As pessoas têm consumido como mostram os resultados do comércio em maio, porém, a baixa confiança dos consumidores nos últimos meses tem reflexos no acumulado”, explicou o economista.

 

Por Marketing CCM-ULA