O Brasil fechou o mês de Março com cerca de 43 mil vagas a menos, refletindo a atividade de econômica do país. Segundo o Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados (Caged), o número de admissão foi de 1.261.177 e o número de demissões chegou a 1.304.373.

“O Caged é um dos primeiros números reais da economia. O resultado confirma as expectativas criadas de uma atividade econômica mais fraca”, afirma Daniel Duque, pesquisador da área de economia aplicada do FGV IBRE.

O setor que mais sofreu com a redução foi o Comércio, com cerca de 28 mil vagas a menos, depois a Agropecuária com 9mil, Construção Civil com 7.700, Indústria de transformação com 3mil e serviço industriais com 662. Em contrapartida, o setor de Serviço teve um crescimento de 4.572 vagas, seguido de Administração Pública com 1.575 e Extrativismo Mineral com 528 vagas.

Apesar dos números em queda, o secretário do Trabalho, Bruno Dalcomo, disse que não há preocupação. Isso porque alguns setores que normalmente contratavam em março anteciparam as contratações, enquanto os que demitiam concentraram as dispensas em março.  Ainda segundo o secretário, o resultado negativo de março não significa um pessimismo com a retomada econômica. “Eu imagino que tenha a ver com a confiança dos empresários. Parece que estão mais confiantes, afirmou. Provavelmente, a demanda foi aquecida o suficiente para que os empresários mantivessem os trabalhadores contratados e atrasassem as demissões de fevereiro para março.”

Por Marketing CCM-ULA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *